Notícia

Quase 200 processos por violação na rede de água foram registrados em 2017

portfolio7

Qualificado como crime contra o patrimônio, de acordo com o Artigo 155, o furto e a violação na rede de água causam diversos prejuízos à população. Além do desperdício do recurso, o chamado gato afeta o abastecimento de quem está com a conta de água em dia. As ligações clandestinas podem ainda contaminar a rede distribuidora, comprometendo a qualidade da água.

No ano passado, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Três Rios registrou 195 processos por violação na rede. Percebendo a gravidade da situação, o Saaetri intensificou a fiscalização e está promovendo uma campanha de combate ao gato.

“Quando alguém faz uma ligação clandestina, ele está tirando o direito do outro de consumir água potável de qualidade, podendo prejudicar o fornecimento de diversas residências”, explicou o diretor do Saaetri, Alberto dos Santos Lavinas.

A campanha “Água e gato não é legal” estará presente nos meios de comunicação locais e nas redes sociais do governo.  O foco é a participação da população através de denúncia. Para isto, o Saaetri disponibiliza a Central de Relacionamento, no telefone 2251-6950, ramais 204 e 206, e o Fale Conosco do site. O contribuinte não precisa se identificar.

Uma vez constatado o furto, a Polícia Militar será acionada e as partes serão encaminhadas à delegacia para lavrar o flagrante. Além de responder criminalmente, quem for pego com gato na rede pode pagar multa entre R$445,30 e R$890,60.